Quem não enfrenta seus problemas de frente, NÃO SE LIVRA DELES. E passa o resto da vida tomando remédio, e quanto mais nega o problema, mais ele cresce.

Quantas pessoas estão hoje buscando um jeito de se livrar dos problemas e adoecem e se tornam pessoas tristes? Ou então caem nas lábias dos Pseudo-Gurus e perdem suas esperanças?

Aí eu lhe pergunto: Tem como sair dessa situação? Existe uma forma de partir do estado atual e chegar a um estado futuro? E dá pra fazer isso sem ficar perdido? Sim, use o mapa!!!

Nietzsche um dia disse que:

“O futuro influi no presente da mesma maneira que o passado!”

Essa afirmação não deveria nos chocar ou causar estranheza, veja bem, ninguém duvida que o passado tem influencia direta no que somos, pois junto de nossa carga genética uma gama de consequências das nossas escolhas caminham juntas conosco.

Mas, nesse caso estamos falando de futuro, algo que nem aconteceu. Aí fica difícil de visualizar né?

Mas pense comigo, o futuro tem tanta força quanto o passado na modelagem do nosso presente. Muito doido? Eu explico: nós construímos nosso dia a dia de acordo com os objetivos que traçamos. Ou você vive a lá pagodinho deixando a vida te levar?

Bom acho que faz sentido isso né?

Mas você deve estar se perguntando: o que isso tem a ver com Lean?

Vou falar pra você agora mesmo!

Você já ouviu falar em Mapeamento de Fluxo de Valor?

O mapeamento do fluxo de valor te leva a um estado futuro ainda estando imerso no mapa atual. Mas para entender o mapeamento do fluxo de valor, precisamos primeiro entender o que é um “fluxo de valor”.

Sendo direto e reto, um fluxo de valor é uma série de etapas que ocorrem para fornecer o produto ou serviço que seus clientes desejam ou precisam.

Para fornecer o produto ou serviço que os clientes desejam, toda empresa tem um conjunto de etapas necessárias. O mapeamento do fluxo de valor nos permite entender melhor quais são essas etapas, onde o valor é adicionado, onde ele não é e, mais importante, como melhorar o processo.

 O mapeamento do fluxo de valor (VSM) nos fornece uma visualização estruturada das principais etapas e dos dados correspondentes necessários para entender e fazer melhorias de maneira inteligente que otimizam todo o processo, e não apenas uma seção às custas da outra. (cobrir os braços descobrindo os pés sabe?)

Muita gente tem implementado o Lean por aí (ou algumas ferramentas do Lean) e estão ativamente buscando oportunidades para eliminar o desperdício em suas organizações. Essas buscas geralmente identificam muitos frutos fáceis, e os esforços subsequentes parecem resultar em melhoras significativas. Mas, esses esforços consertam uma pequena parte do fluxo de valor, não melhoram o restante dele.

Quem me acompanha por aqui sabe que gosto mesmo é de trazer isso pra fora dos muros das corporações, porque se não aplicarmos o Lean na maior empresa que existe (sua vida!) não adiantará em nada aplicar no resto dos lugares.

Então, por que o Mapeamento de Fluxo de Valor pode fazer toda a diferença na nossa vida?

  1. Porque ajuda a visualizar mais do que simplesmente uma tarefa isolada. Você passa ter a visão do todo. O hoje deixa de ser um dia qualquer e você consegue enxergar mais a frente;
  2. Porque ajuda a identificar mais do que simples desperdícios, te ajuda a enxergar a fonte deles;
  3. Te ajuda a enxergar! Uma vez que colocamos as coisas no papel, começamos a ter noção do que fazemos e planejamos. Ás vezes erramos por desconhecimento ou por não conseguir enxergar;
  4. Porque se torna o seu mapa, seu guia! Uma vez que você entende onde está (estado atual) e traça onde quer chegar (estado futuro), fica mais fácil percorrer o caminho. Imagine um navio sem bussola!

Pratique o mapeamento de valor para sua vida e você aprenderá a enxergar as coisas de uma forma diferente. Mas lembre-se, a questão primordial é tornar-se Lean e não aplicar mais uma ferramenta.

Ramon Farias

Co-fundador da Eyesight (A escola do BEN – isso com N mesmo heheheh), um cara que fez engenharia por gostar de máquinas e acabou trabahando com pessoas (e se apaixonou por isso), apaixonado por Tecnologia, entusiasta da Filosofia Lean, metodologias Hands On, Storytelling, e um monte de coisa que ajuda as pessoas a ver o mundo de uma forma diferente (chama a galera do Oclinho). E, Petropolitano: sendo ponte do passado para o futuro na Serra.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *