Casos que nós compradores já passamos em nossas carreiras.

E como não começar esse primeiro artigo contando um caso de um comprador desempregado naquela busca diária por uma recolocação!

Nesse caso, esse comprador seria eu!

Sim, eu mesmo…

Como todos compradores ou profissionais que buscam emprego e principalmente em uma época de índices de desemprego sem sinal de grandes mudanças.

Em minha busca diária em Linkedin, Vagas.com, sites de agências e mais e-mails e e-mails. Sem contar naquele contato com sua rede de network.

Bom em uma busca diária encontrei uma vaga bem descrita por um recrutador no Linkedin.

“Buscamos um profissional de compras, será responsável por analisar as atividades relacionadas à compra de matérias-primas, equipamentos, maquinarias e outros insumos básicos, organizando e controlando os programas e sua execução e avaliando os resultados, segundo a política específica e a política da gerência comercial, para assegurar o suprimento desses materiais e o processamento normal dos trabalhos em todos os setores da empresa. Ensino Superior Completo.”

Ufa, acho que me encaixo aí na descrição…

Então procuro o e-mail de contato, anexo o currículo revisado diversas vezes, escrevo aquele e-mail e confiante envio.

Dois dias depois recebo uma ligação da recrutadora (a mesma do anúncio) me convidando para uma entrevista.

Já fico animando, é uma entrevista, mas as vezes é mais que isso para um desempregado!

Quem já passou por isso já sabe que dá um alívio, uma esperança, deixa o dia mais alegre.

Bom, vou me preparar para a entrevista.

Vou buscar informações da empresa, apesar de ser uma empresa grande da região bem conhecida, me preparo com todas as informações.

Agora penso no roteiro até chegar a empresa, chegar no tempo certo sem atrasos.

Roupa escolhida, caminho escolhido (é perto, mas tem trânsito), preparado com todas as informações e aquela revisada no currículo e pronto!

Hora de dormir!

Acordo, aquele banho, entro no carro e vamos a luta!

Chega na empresa, me apresento, informo que tenho uma entrevista agendada.

Aguardo alguns minutos e a recrutadora chega, cumprimentos, falamos sobre a facilidade de encontrar a empresa e entramos em uma sala.

Vai começar!

A partir daqui seguimos o roteiro.

Pede para falar das experiências, da formação, quem sou, enfim aquela entrevista padrão.

A entrevistadora passa a questionar algumas coisas mais especificas da vaga, respondo sem dificuldades.

Ela propõe um cenário que acontece na empresa e acho um gancho para mostrar uma solução.

Acredito estar indo bem.

Mais algumas perguntas sobre compras e ela começa a falar da vaga.

Benefícios, salário, horário de trabalho, as expectativas em relação ao novo contratado e assim vai.

A vaga é boa!

Elogia meu currículo, diz estar impressionada com todos os aspectos e que tenho o perfil da vaga.

Mas aí algo acontece…

“Bom Jean, qual o seu signo?”

Oi?

Um, dois segundos para processar a pergunta. Quem nunca teve de responder algum absurdo em uma entrevista.

Deve ser um teste.

“Sou de leão, nasci no mês de agosto”

“Bom infelizmente o senhor não pode ser contratado. Para a vaga procuramos alguém de sagitário ou libra.

Essa vaga é muito estratégica e o diretor colocou essa exigência na contratação. – explica a recrutadora de maneira bem séria“

Hã?

“Mas isso é sério? – Eu pergunto”

“Sim, muito sério. Só vamos contratar alguém de um desses signos! – retruca a recrutadora”

“Mas o que o signo tem haver com o valor do profissional? – pergunto ainda imaginando que é um teste”

“Tudo! Pessoas desses signos são pacificas e tranquilas. Não queremos pessoas que atrapalhem nosso ambiente de trabalho – explica a recrutadora”

Isso só pode ser brincadeira

“Desculpe, mas não vou poder te encaminhar para a próxima etapa por esse motivo. Você tem aderência de mais de 95% da vaga, mas isso tem um peso maior na avaliação. – diz a recrutadora na maior tranquilidade”

“Então esse seria o critério de escolha para o candidato? Não a formação e sim o signo dela. Colocar isso no anuncio levaria as pessoas a interpretar de forma errada o critério de avaliação para a contratação – completa a recrutadora”

Nem preciso dizer que nesse momento foi uma mistura de sentimentos.

Ali ela encerrou a entrevista se desculpando e me acompanhou até a saída.

Nesse meio tempo ainda perguntei de outras formas se era sério aquela situação, esse tipo de entrevista.

Ela sempre afirmava que sim.

Bom entrei no carro e fiquei ali uns cinco minutos tentando entender o que aconteceu.

Fui para uma entrevista e chegando lá era uma vaga para os Cavaleiros do Zodíaco (você entendeu a referência se não for muito novo)

Não, isso não foi uma brincadeira e tampouco uma saída da recrutadora.

Já contei essa história no meu Linkedin tempos atrás e duas pessoas que passaram pela mesma entrevista aconteceu o mesmo.

Vejam que ponto chegamos!

Excelentes profissionais (um dos que passaram pela entrevista eu tiro o chapéu para o currículo) não são contratados por excentricidades de empresas que se acham a última bolacha do pacote.

Recrutem pessoas! Habilidades!

Isso tudo amigos compradores é verdade!

Tem alguma situação assim? Quer compartilhar?

Para mais conteudos como este acesse https://www.papodecomprador.com.br/ e https://www.linkedin.com/in/jean-torres-dos-santos/

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *